CONTROVÉRSIAS EM TORNO DO MARCO INICIAL BATISTA: SANTA BÁRBARA D’OESTE OU SALVADOR?

Jorgevan Alves da Silva

Resumo


Não são incomuns as controvérsias entre batistas. Com certa frequência surgem temas que são amplamente debatidos e, em alguns casos, alterados após revisões. Foi o que aconteceu durante os anos de 2003 a 2009 com relação ao marco inicial dos Batistas no Brasil, um tema que, embora houvesse uma minoria discordante, parecia definido desde a década de 1960. Por várias décadas ficou decidido pela CBB que o início dos trabalhos Batistas no Brasil era marcado pela organização da Primeira Igreja Batista da Bahia, em 15 de outubro de 1882, mas recentemente a Convenção estabeleceu como marco inicial o ano de 1871 e a antiga Colônia de Santa Bárbara D’Oeste, em São Paulo, como o início de tudo. Neste artigo discorremos sobre o assunto a partir da perspectiva histórica e apresentamos nossas conclusões.

Palavras-Chaves: Batistas. Marco Inicial. CBB. Santa Bárbara D’Oeste. Salvador-BA.

Controversies about the initial landmark baptist: Santa Bárbara D’oeste or Salvador city?

ABSTRACT

It is not uncommon for controversies among Baptists. Often issues arise that are widely debated and in some cases changed after reviews. This was what happened during the years 2003 to 2009 in relation to the starting point of Baptists in Brazil, an issue that, although there was a discordant minority, seemed defined since the 1960s. For several decades it was decided by the CBB that the beginning of the Baptist work in Brazil was marked by the organization of the First Baptist Church of Bahia on October 15, 1882, but recently the Convention established the year as early as 1871 and the former Santa Bárbara D'Oeste Colony in beginning of everything. In this article we discuss the subject from the historical perspective and present our conclusions.

Keywords: Baptists. landmark. CBB. Santa Bárbara D'Oeste. Salvador City.

 

 


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Revista Batista Pioneira está licenciada com uma Licença Creative Commons – Atribuição – Não Comercial – Sem Derivações – 4.0 Internacional.

A revista está catalogada nos seguintes indexadores: